Loot Boxes: São jogos de cassino nos games?

As loot boxes viraram um dos maiores problemas do mundo dos videojogos na atualidade, com a polêmica rebentando durante os últimos meses de 2017. Ao longo do corrente ano, grande parte das desenvolvedoras vêm cedendo à pressão da opinião pública e vêm retirando as loot boxes de seus jogos ou limitando seu alcance. Mas os céticos não estão convencidos: muitos consideram que as desenvolvedoras estão apenas reagindo no curto prazo e tentarão voltar com o conceito, pois é demasiado lucrativo. Quanto dinheiro já gastou você em loot boxes?

O conceito de loot box

A loot box é uma “feature” aparentemente inofensiva mas que na realidade virou umas das principais fontes de financiamento das desenvolvedoras. O jogador paga um pequeno valor para ter acesso à possibilidade de conseguir um item especial; pode ser uma arma necessária para ser mais eficaz no jogo ou um simples adorno estético. O ponto central é que o jogador não compra, mas simplesmente investe em uma jogada de sorte; a possibilidade de ele receber o prêmio é definida por um software GNA (Gerador de Números Aleatório), com “odds” ocultas do público.

Críticas: demasiado semelhante a jogos de cassino

O funcionamento da loot box, como se vê, é demasiado semelhante ao de um jogo de azar, acessível em cassinos físicos ou online. Os softwares GNA são utilizados pelas plataformas de cassino online para operarem seus jogos dentro da legalidade; o jogador sabe que a “odd” nunca é 100%, mas ele é adulto e tem conhecimento desse fato. Encontrar duas loot boxes e investir dinheiro para tentar conseguir um prêmio é muito semelhante a jogar em duas máquinas de caça-níquel ao mesmo tempo, e o problema é que os videojogos têm adolescentes e jovens adultos como seus principais usuários (ao contrário dos cassinos online).

Ao longo de 2017 surgiram cada vez mais relatos, em vários países, de abusos financeiros por parte de jovens jogadores e de pais vendo desaparecer pequenas fortunas de seus cartões de crédito.

Reação da mídia e das autoridades

A nível internacional, a mídia começou relatando a situação, e em breve os políticos passaram à ação. Nos Estados Unidos, na Austrália e na Europa surgiram ataques abertos à ação das desenvolvedoras. Em último caso, a Holanda e a Bélgica acabaram mesmo por declarar o conceito como equivalente a um jogo de azar e portanto a declarar a sua presença em videogames ilegal. A Valve, desenvolvedora de “Counter Strike: Global Offensive”, anunciou a suspensão da funcionalidade do jogo, sob ameaça da autoridade de jogos da Holanda, embora recusando a decisão e anunciando o recurso aos tribunais.

Por agora, parece que a opinião pública conseguiu uma rara vitória sobre o mundo empresarial. Contudo, uma enquete recente, efetuada na Europa, aponta que a maior parte dos usuários se mostra indiferente quanto à presença de loot boxes nos jogos. Será que as desenvolvedoras não tentarão adaptar e voltar com essa fonte de receita tão fácil?

Alan Motta Cardoso
Alan Motta Cardoso
Tem Mestrado em Biologia Marinha mas atualmente trabalha com games e tecnologia. Pode isso, Arnaldo?
Recommended Posts

Comentários

Loading Facebook Comments ...

Leave a Comment